Letras

VIOLA COM DISTORÇÃO

Ai galera que tesão, misturar guitarra e acordeão
Ai galera que tesão, viola com distorção!
Som de sertanejo chique, de peão bem aprumado
É guitarra rock´n roll, batidão acelerado
Bem pesado eu vou tocar modinha de caipira
Esse som é pra você, vem pra nossa Comitiva!

REFRÃO 1:
Eta som que é bom demais pra você ouvi no talo
É rock do sertão: tem viola, guitarra e acordeão
Heavy Metal pra vocês, na viola de caipira
Ai galera que tesão, viola com distorção!

Ai galera que tesão, misturar o metal com vanerão
Ai galera que tesão, viola com distorção!
Metaleiro de Goiânia, roqueiro do Araguaia
Iron Maiden na viola, Tião Carreiro na guitarra
Rock´n Roll eu vou cantar com sotaque de caipira
Vem solar a Flying V, senta a mão na bateria!

REFRÃO 2:
Eta som que é bom demais pra você ouvi no talo
É rock do sertão: tem viola, guitarra e acordeão
Heavy Metal pra vocês, na viola de caipira
Essa batida aí pra mim, parece aquele som do Queen!

VIDA DE PEDREIRO

A marmita vou esquentar
Jogo o cal na areia
O cimento vai secar
Hoje é jabá com pimenta

Só na pá e na enxada
Só no rolo e no pincel
Passo um dia de peão
E amanheço no bordel!

REFRÃO 1:
Alô galera motoboy!
Alô galera do busão!
Quem disse que pedreiro nunca sai da construção?

E a faxina
É rotina de pedreiro
Tira entulho que juntou
Na alegria de ser pagodeiro
E ser fã da beija-flôr

Só na pá e na enxada
Só no rolo e no pincel
Passo um dia de peão
E amanheço no bordel!

REFRÃO 1 (x2)

E a faxina
É rotina de pedreiro
Tira entulho que juntou
Na alegria de ser pagodeiro
E ser fã da beija-flôr

Só na pá e na enxada
Só no rolo e no pincel
Passo um dia de peão
E amanheço no bordel!

REFRÃO 1 (x2)

REFRÃO 2:
Alô galera do metal!
Alô galera do sertão!
Quem disse que roqueiro não pode ouvir Chitão?

REFRÃO 3:
Alô galera rock´n roll!
Alô galera do arraial!
Quem disse que caipira não pode ouvir Metal?

REFRÃO 4:
Alô galera do metal!
Alô galera do sertão!
Sou caipira, metaleiro e também gosto de Falcão!

O VIAGRA É O SEGREDO

Perguntaram pra mim, se eu dou conta dela
Respondi: “Com remédio, até dou um baile nela!”

Ele é azulzinho e apesar do preço
Se você tá broxando, acaba compensando
O viagra é o segredo!

Na caixinha vem quatro, mas podia ser mais
Se tomar um agora, daqui uma hora, fica bom demais!

REFRÃO 1:
O viagra é o segredo, devolve o desejo
E seis horas dura
O cara se levanta, não sai mais da cama
E até güenta com duas!
E de quem tá sofrendo, ele vai devolvendo
O furor juvenil
Se usar uma cartela, eu acabo com ela
Sou bem mais viril!

Perguntaram pra mim, se eu dou conta dela
Respondi: “Com remédio, até dou um baile nela!”

Ele é azulzinho e apesar do preço
Se você tá broxando, acaba compensando
O viagra é o segredo!

Levanta a sua bola, levanta a sua moral
E se tomar um agora, daqui uma hora, levanta o seu...

REFRÃO 1

REFRÃO 2:
O viagra é o segredo, devolve o desejo
E ninguém te segura!
O “cabra” se levanta, não sai mais da cama
E emenda uma dúzia!
E de quem tá sofrendo, ele vai devolvendo
O furor juvenil
Se usar uma cartela, eu acabo com ela
Sou bem mais viril!

SENTEI!

Um bando de magrela com cabelo chabí
Ouvindo Fresno, Gloria e os bunitão do NX
No olho maquiagem, na boca piercing também
Bracinho tatuado, pôster do Simple Plan

Chapinha no salão, pra a franjinha alisar
Se é metro, emo ou homo, nunca se saberá
Tem fama de morder a fronha do travesseiro
Adora uma lingüiça, mas não é açougueiro

REFRÃO:
Eu queimo a rosca
Sou tão sensível
Beijo os amigos
Não entro em puteiro, pois mulher me faz mal!

Eu queimo a rosca
Sou tão sensível
Dou pros amigos
Queria ser menina, mas nasci com bilau!

La na vara la la la la la la la
La na vara la la la la la la la
Sentei! (x2)

(“Assisto ‘Rebeldes’ e gay sou!”)

Tomar leite com pêra, toddynho e mingau
Cobrir o olho esquerdo, coisa de paga-pau
As unhas e o cabelo eles vão colorir
Com roupas apertadas eles vão se vestir

Não catam as meninas, e nem fazem neném
Os emos na verdade nunca comem ninguém
Convence a amiguinha, a outra mina beijar
Enquanto ajuda o outro emo a se maquiar

REFRÃO

La na vara la la la la la la la
La na vara la la la la la la la
Sentei! (x2)

(“Eu queimo a rosca e gay sou!”)

A “parada” la la la la la la la
A “parada” la la la la la la la
Amei!

Na Paulista la la la la la la la
Na Paulista la la la la la la la
Eu dei!

Minha rosca la la la la la la la
Minha rosca la la la la la la la
Queimei!

Tá na cara la la la la la la la
Tá na cara la la la la la la la
Sou gay!

NÃO FOI DE GRAÇA

De carro fui sozinho para a Augusta
Avistei uma morena com ar de pura!
Aproximei da calçada, querendo conhecer
Parei ali na frente de um privê

No carro ela entrou no mesmo instante
Me deu um beijo, um doce e se abaixou
Naquela hora já eu tava achando que era amor
Era armadilha, a gata me cobrou...

REFRÃO:
A gata eu vou tirar desse mundo
Vou dá banho quente
E fazê virar crente
Não foi de graça, mas gamei nela!
“Ô gata, serei seu marido
Me ama, se renda
Faça um filho comigo”
Cafetão me deixe casar com ela!

(“A gata! – da Augusta! – cobrou! – de mim!”)

No carro ela entrou no mesmo instante
Me deu um beijo, um doce e se abaixou
Naquela hora já eu tava achando que era amor
Era armadilha, a gata me cobrou...

REFRÃO (x2)

LEITÃO

Tô na neura da gordura
Evitando a fritura
Cortei fora a lingüiça, fiz jejum
Proibiram o chocolate e só como coisa diet
Que tortura alimentar, que judiação!

Mas meu amor não dá mais pra sofrer no SPA
Não sou magro, eu já fui!
Eu quero a felicidade
Comer de verdade
Já chega pra mim!

REFRÃO 1:
Eu vou comer um leitão!
Goiabada, cuscuz, macarrão
De fome que eu não vou morrer
E o regime que faça você

Eu vou comer um leitão!
Rapadura, pudim, camarão
De fome que não vou morrer
Se quer ter corpo esbelto, coca-diet pra você!

Tô na neura da gordura
Evitando a fritura
Cortei fora a lingüiça, fiz jejum
Só salada de alface, e metade de um tomate
Que tortura alimentar, que judiação!

Mas meu amor não dá mais pra sofrer no SPA
Não sou magro, eu já fui!
Eu quero a felicidade
Comer de verdade
Cadê meu pudim!?

REFRÃO 2:
Eu vou comer um leitão!
Goiabada, cuscuz, macarrão
De fome que eu não vou morrer
E o regime que faça você

Eu vou comer um leitão!
Feijoada, torta de limão
De fome que não vou morrer
Se quer ter corpo esbelto, coca-diet pra você!

REFRÃO 1 (FORRÓ)

REFRÃO 3:
Eu vou comer um leitão!
Goiabada, cuscuz, macarrão
De fome que eu não vou morrer
E o regime que faça você

Eu vou comer um leitão!
Lasanha, brigadeirão
De fome que não vou morrer
O que tiver por perto manda aí que eu vou comer!

JEITO DE BONECA

Ela é um mistério, faz sair do sério
Mas pode esconder um pistolão
Já não é segredo, ela mete medo
E pode conquistar seu coração

Ela é tão bonita, que até Deus duvida
Que essa gata tem um bingulin
Ela é tão charmosa, ela é tão gostosa
E dizem que ela tá de olho em mim!

REFRÃO:
Sei que é caubói num corpo de mulher,
do tipo que não pode ter neném!
Ela é uma boneca, os macho desespera
E sabe que foi miss do Gala Gay

Cara de menina, piroca de peão!
Mas pode enganar qualquer machão
Chegue de mansinho, não seja apressadinho
Senão vai acabar enchendo a mão

Não tente ignorar, não tente segurar
A mala vai pesar na sua mão
Não sei se tanto faz, mas cuidado rapaz!
Que o nome dela pode ser João

REFRÃO

CORO:
“Ela é macho, eu sei
Ela tem pipi, eu já avisei!
Ela é macho, eu sei
O nome dela é Wanderley!”

FILHO PENTELHO

Quando a gente ama
Qualquer coisa atura e pode relevar
Até filho chato de mulher separada, trata com amor

Mas esse filhinho querido dela, já me deu no saco!
Fica a noite inteira entrando no quarto
Nos tirando o horário de fazer amor

REFRÃO
E hoje eu o esmurrei e deixei sua mãe triste
Mas com jeitinho pra ela eu disse:
“Teu filho é pentelho e eu não tenho dó
Só dei, cá entre nós, um tapa no ouvido
Mas o seu filho é pentelho e eu digo
Devia ter levado uma surra pior!”

Quando a gente ama
Mulher que tem filho e já foi casada
Se esposa é boa e é bom o menino, dá gosto criar

O dela não é desses...
Moleque mala, de tudo reclama
Me chuta, me xinga, me mostrar a banana
Esse filho dela, é o satanás!

REFRÃO

A FILHA DE CHICO

No dia que fui na sua casa, tua irmã me disse: “Menino, vem cá!”
Passou a mão no meu traseiro, elogiou meus olhos, só faltou babar
Sei que é filha do seu Chico, mas com todo respeito:
“Isso que é mulher!”
Ela me agarrou
Tentei fugir, não deu
Então eu entreguei pra Deus!

REFRÃO 1:
Só sei que ela quase enlouqueceu
Mas o seu Chico tava pra chegar
E eu preocupado, vai que ele desce...
Pro meu passarinho, o bicho vai pegar!

Bem que eu continuar ali, mas o seu Chico eu vou respeitar
E vou deixar a sua irmã na fossa,
Mas o seu Chico eu não vou encarar

Sua irmã tava “naqueles dias”, reclamou de tudo, sabe como é
De cólica há uns cinco dia, e a coitada ainda tava de OB
E com a chegada do seu pai, nossa oportunidade se subtraiu
Uma semana e aí: “seu Chico vá com Deus!”
Depois o mês inteiro é meu...

REFRÃO 1

REFRÃO 2:
Só sei que ela quase enlouqueceu
Mas o seu Chico tava pra chegar
E eu preocupado, vai que ele desce...
Pro meu passarinho, eu sei que vai sujar!

Bem que eu continuar ali, mas o seu Chico eu vou respeitar...

E vou deixar a sua irmã na fossa,
Mas o seu Chico eu não vou encarar (x3)

CALOTEIRA

Precisava de um som
Fui comprar no Paraguai
Viajei com as sacoleiras
Num busão que sai do Brás

Lá as coisas são baratas
E pra economizar
Viajei a noite inteira
Até minha bunda achatar

Consegui um descontão
Em dois “Sony Hi-Fi”
Então vi a muambeira
Tentando me engambelar

Colocando em suas caixas
Quatro pedras pra pesar
Caloteira, caloteira!
Tá tentando me enganar...

REFRÃO:
Caloteira!
Nunca te perdoarei
Sua caloteira!

Vou voltar pra minha cidade
Para ter som de verdade, na Marabras eu comprarei
Para ter som de verdade, na Marabras eu comprarei

REFRÃO

AMIGO ENSABOADO

Eu não sou gay!
Não digo o mesmo de você
Como isso pôde acontecer?
Eu não devia ter bebido

Vai ser melhor...
Se não deixar ninguém saber
Se você quiser manter
Esses seus dente tão bunito

É bom mesmo você não contar
Se falar de mim
A sua cara eu vou arrebentar
Nunca mais vou beber tanto assim

REFRÃO:
Sempre fui um grande amigo seu
Só que um pouco mais você quis ser
Eu me embriaguei tanto meu Deus
E fui ensaboado por você
O sabão então caiu no chão
Me abaixei e você veio atrás
Sei que eu bebi, perdi a razão
Mas isso com amigo, não se faz!

Vai ser melhor...
Se não deixar ninguém saber
Se você quiser manter
Esses seus dente tão bunito

É bom mesmo você não contar
Se falar de mim
A sua cara eu vou arrebentar
Nunca mais vou beber tanto assim

REFRÃO (x2)

NAO É O PELÉ!

REFRÃO:
O Maradona até que é bão, mas não é o Pelé!
Não é o Pelé, não é o Pelé!
O Maradona até que é bão, mas não é o Pelé!
Não é o Pelé, não é o Pelé!

Nossa herança nos ensina a vencer
Na TV vamos torcer, vão jogar as seleções

Tá todo mundo apreensivo na Argentina
E no Brasil só alegria, somos nós os campeões (x2)

REFRÃO

É futebol-arte no exterior
Tá sobrando jogador, qualidade exportação

Tenta argentino, nóis já somos penta agora
E se tem o Brasil na Copa, não adianta gol de mão

Dança argentino, que seu tango é da hora
Mas quando o assunto é bola, o Brasil é campeão!

REFRÃO
(tango)
REFRÃO

(Tenta arrentino!) nóis já somos penta agora
Se tem o Brasil na Copa, não adianta gol de mão

(Baila arrentino!) que seu tango é da hora
Mas quando o assunto é bola, o Brasil é campeão!

“É, a Xuxa eu namorei!
A loirinha eu já peguei!
A rainha eu já tracei!
Eu que sou o Rei!”

REFRÃO (x2)

“Não chores por mim Argentina, a taça do mundo é nossa,
Vamos levar mais uma copa, e o Dieguito, fica na fossa”

SOCIEDADE DO FIOFÓ

Eles queriam meu loló
A sociedade do fiofó
Não puderam me pegar
Ninguém vai me traçar!

Eles queriam meu loló
A sociedade do fiofó
Não puderam me pegar
Ninguém vai me enrabar!

MÚÚÚÚ!
Ui!

Começou com um cara no sinal
Mandou um beijinho e me falou vem
Depois mostrou o pau

Fez um sinal pros outros virem
Cada hora chegava mais
Desesperado eu corri, com todo mundo atrás!

Eram mais de cem!
Vem moreno vem!
Vem fazê neném!

Eles queriam meu loló
A sociedade do fiofó
Não puderam me pegar
Ninguém vai me enrabar!
Corri pra cá e pra lá
Até andei em cima de um trem
Multidão de bicha
Querendo um vai e vem

Volta aqui meu bem!
Que problema tem?
Ninguém vive sem!

Eles queriam meu loló
A sociedade do fiofó
Não puderam me pegar
Ninguém vai me enrabar

(solo)
(feira da fruta)

Eles queriam meu loló
A sociedade do fiofó
Não puderam me pegar
Ningueém vai me enrabar!
Nois queria o teu loló
Sociedade do fiofó
E nos vamos te pegar
E vamos te traçar!

TROCA O ÓLEO

REFRÃO 1 (galera)
Tá na hora de trocar
O óleo do cidadão
Vou pra zona da cidade
Chega de ficar na mão!
Não envolve sentimentos
Nem precisa xavecar
Ah! Como é bom podê pagar!

É fim de mês, eu recebi, tô tão feliz!
Fui direto pra onde eu sempre quis
Uma loiraça já chegô em cima de mim
Tô na luz vermelha, até que enfim!
“Oi meu gato, paga um drink
Cê tá afim de namorar?”
Põe na comanda
Que eu vou pagar!

REFRÃO 2
Tá na hora de trocar
O óleo do cidadão
Fui pra zona da cidade
Chega de ficar na mão!
Não envolve sentimentos
Nem precisa xavecar
Ah! Como é bom podê pagar!

É fim de mês, eu recebi, tô tão feliz!
Fui direto pra onde eu sempre quis
A loiraça tá querendo o meu dindin
Hoje a minha seca vai ter fim!

“Vamo pro quarto, fazê um love
Vai no caixa alí pagar”
Dá minha comanda
Que eu vou me acabar!

REFRÃO 2

Essa muié fez muito jús
Aos cem conto que eu paguei
Até mais, casa da luz!
No outro mês eu voltarei

REFRÃO 3 (primas)
Tá na hora de trocar
O óleo do cidadão
Vem pra zona da cidade
Chega de ficar na mão!
Não envolve sentimentos
Nem precisa xavecar
Ah! Como é bom você pagar!
 
REFRÃO 2

A VAQUINHA

Quando eu nasci a minha mãe não tinha leite
Fui criado igual bezerro rejeitado
Mamei em cabras, em tudo que tinha peito
Eu cresci bem desse jeito
E fiquei mal acostumado

Num show de rock eu conheci uma vaquinha
E agora vivo mamando
Nas tetas da malhadinha

REFRÃO
Eu gosto de mamar
Nas tetas da vaquinha
Eu gosto de mamar
Nas tetas da vaquinha
Eu gosto de mamar
Só nas tetas da vaquinha
Mamo à hora que eu quero porque a vaquinha é minha

Essa vaquinha ouve Ozzy e Airon Meide
Usa brinco e bracelete
Curti um som, é rock star
A malhadinha até montou a banda
Onde agora eu tô cantando
E mamando sem parar

REFRÃO

“Na banda Comitiva tem um boi
Esse boi se chama Cavalera...
Esse touro diz que anda se acabando
Lá nas tetas da vaquinha metaleira”

EU NÃO SEI FALAR INGLÊS

Maybe I didn't treat you
(Onde está o Chico Anísio?)
Quite as good as I should have
(Tá no Sul, plantando café)
Maybe I didn't love you
(Onde está o Clodovil?)
Quite as often as I could have
(Não sei onde, mas tá dando ré)
Little things I should have said and done
(Quando vim de bus, lá do sertão)
I just never took the time
(Comprei Mc, comi um Nike)
You are always on my mind
(Tenho os olhos da mamãe)
You are always on my mind
(E os ovos do papai)
 
Meu inglês é deprimente
Até parece mandarim
Então fiz recentemente
Um intensivo do verbo to be
Mas de tão incompetente, bombei
Me dei mal no CiCi-EiEi

Minha língua é o português
Eu não sei falar inglês!

Tell me
Tell me that your sweet love hasn't died
Dá pra mim
Uma bolsa pra estudar no Canadá
Que eu vou lá!

“Não sei!
falar fluente
Mas falo português
Igual o presidente

Ball é bola
Gato é Cat
I want a bola gato
Eu quero um ball cat!”

Maybe I didn't hold you
All those lonely, lonely times
Como eu ando quebrado
E tô sem grana para viajar

If I made you feel second best
Vou fazer CNA

You are always on my mind (x2)
Minha língua é o português
Eu não sei falar inglês!